domingo, 30 de abril de 2017

Erica arborea L. (Ericaceae) e uma borboleta

Sernancelhe, 25.IV.2017, alt. ca. 800 m, uma bela borboleta sobre Erica arborea L. (Ericaceae):
Poderá tratar-se da Euphydryas aurinia Rottemburg, 1775 (Nymphalidae), segundo a excelente sugestão do amigo entomólogo Carlos Silva, uma expécie protegida por lei: 
· Decreto-Lei nº 140/99, de 24 de Abril, com a redacção que lhe é dada pelo Decreto-Lei nº 49/05, de
24 de Fevereiro, anexo B-II, transposição da Directiva Habitats (92/43/CEE), de 21 de Maio de
1992, Anexo II
· Decreto-Lei nº 316/89, de 22 de Setembro, transposição da Convenção de Berna, Anexo II http://www.icnf.pt/…/…/docs/rn-plan-set/inverteb/eup-aurinia

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Trifolium stellatum L. (Leguminosae)

Fotografámos hoje em Coimbra (29TNE4950, alt. ca. 100 m) um exemplar de Trifolium stellatum L. (Leguminosae = Fabaceae), uma bela leguminosa anual de distribuição predominantemente mediterrânica (http://euromed.luomus.fi/euromed_map.php?taxon=537878&size=medium), bastante comum em Portugal continental, sobretudo no Centro e Sul, mas sempre nas regiões de vegetação mediterrânica (http://flora-on.pt/#/1Trifolium+stellatum). Na frutificação, os dentes do cálice apresentam uma disposição em estrela, que pensamos terá dado origem ao nome desta espécie.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Centunculus minimus L. (Primulaceae) e outras plantas anuais



Hoje trazemos aqui uma planta pouco comum e pouco observada em Portugal (http://flora-on.pt/#/1Centunculus+minimus): o pequeno morrião anual Centunculus minimus L. = Anagallis minima (L.) E.H.L. Krause (Primulaceae), que encontrámos no CW calc.: BL: Condeixa-a-Nova: Conímbriga, 29TNE4438, 9.IV.2017.
Também é possível observar outras plantas anuais interessantes de flor amarela como Cicendia filiformis (L.) Delarbre = Gentiana filiformis L. (Gentianaceae), Trifolium campestre Schreb. (Leguminosae = Fabaceae), e Sagina apetala Ard. (Caryophyllaceae), de flores amareladas-esverdeadas.
Centunculus minimus e Cicendia filiformis são duas plantas características da classe de vegetação Isoeto-Nanojuncetea, que inclui vegetação pioneira anual anã efémera de locais temporariamente inundados - na estação das chuvas, secando depois na estação seca (RIVAS-MARTÍNEZ, S., T.E. DÍAZ, F. FERNÁNDEZ-GONZÁLEZ, J. IZCO, J. LOIDI, M. LOUSÃ & A. PENAS. 2002. Vascular plant communities of Spain and Portugal. Addenda to the syntaxonomical checklist of 2001. Part II. Itinera Geobotanica 15 (2): 433-922).

No mesmo local encontrámos também outras plantas típicas da mesma classe Isoeto-Nanojuncetea, como: Chaetopogon fasciculatus (Link) Hayek (Gramineae = Poaceae), Hypericum humifusum L. (Hypericaceae), Juncus bufonius L. e Juncus capitatus Weigel (Juncaceae) e Radiola linoides Roth (Linaceae). Esperamos aqui voltar a postar em breve sobre esta vegetação tão característica.

Agradecemos a companhia e o transporte nestas excursões aos excelentes amigos J. Marques, M.G. Pereira e M.J. Pereira.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Trifolium campestre Schreber (Leguminosae)

Trifolium campestre Schreber (Leguminosae), uma planta campestre de vasta distribuição eurasiática, norte-africana e macaronésica (http://euromed.luomus.fi/euromed_map.php?taxon=537818&size=medium), fotografada em Coimbra, em 11.IV.2017.

domingo, 9 de abril de 2017

Asplenium Billotii F.W. Schultz (Aspleniaceae)


Pensamos que ainda aqui não tinha sido postado este feto: Asplenium Billotii F.W. Schultz (Aspleniaceae), que fotografámos hoje na BL: Lousã: Talasnal, 29TNE6538, alt. ca. 530 m.
Trata-se de um endemismo euro-mediterrânico e macaronésico, bastante comum em Portugal continental, que se pode encontrar sobretudo em fendas de rochas siliciosas, particularmente no Norte e Centro de Lu (http://flora-on.pt/#/1Asplenium+billotii).