quinta-feira, 2 de julho de 2009

Flores de Castanea sativa «castanheiro» (Fagaceae) II

As flores masculinas de C. sativa apresentam-se agrupadas em inflorescências muito contraídas (flores com pedicelos muito curtos), com 6-7 flores na axila de uma bráctea (folhas modificadas situadas nas inflorescências).
O comprimento dos filetes dos estames tem algum interesse para distinguir as cultivares. Podem ser curtos, e os amentos parecem ao longe quase lisos, a longos, atribuindo um aspecto entufado aos amentos.


Flores masculinas de C. sativa de filetes longos

As flores femininas merecem ser observadas com detalhe à lupa. Surgem em grupos de três envolvidas por um conjunto de peças foliáceas (o seu conjunto designa-se por cúpula) que acabarão por coalescer no ouriço.
Acima da cúpula, separando cuidadosamente as flores com um estilete, observa-se um perianto rudimentar de 6-8 peças (tépalas) em forma de espátula, emarginadas por longos pêlos esbranquiçados.
Raras são as Floras que referem a presença de estames nas flores femininas de C. sativa embora esta condição seja dominante nas variedades portuguesas de castanheiro. Estes estames são pequenos, frágeis e aparentemente não funcionais, porém foi provado por investigadores da Estação Florestal Nacional que o seu pólen pode ser viável. Por conseguinte, as flores ditas femininas de C. sativa são, na realidade, flores hermafroditas funcionalmente femininas.
O ovário é ínfero e pluriovulado (mais de um primórdio seminal). Os estiletes são rígidos e salientes, em número variável (já contei 4 a 8), coincidente com o número de carpelos. A superfície estigmática está concentrada no ápice dos estiletes. Muito interessante: os estigmas são receptivos (ao pólen) um de cada vez.
Cada flor dá origem a uma castanha (fruto) com uma única semente (castanha descascada com camisa). Portanto, em cada flor evolui para semente apenas um primórdio seminal.


Inflorescências femininas de C. sativa. N.b. inflorescências com três flores envolvidas por uma cúpula; estiletes salientes. Na última foto observa-se um ovo (de cor verde) de um crisopídeo (Insecta, Neuroptera, Chrysopidae) inserido no ápice de um estilete; estes ovos possuem um pé muito longo e delgado que tem por função impedir que as ninfas recém-eclodidas comam as suas irmãs (as larvas crisopídeos são carnívoras)

[fotos C. Aguiar]

5 comentários: