sábado, 6 de novembro de 2010

Frutos de Prunus dulcis (Rosaceae)

Os frutos carnudos deiscentes, por outras palavras, os frutos brandos ricos em água que se rompem e libertam as sementes na maturação, tanto quanto sei, só ocorrem nos trópicos. Recordei este facto há 15 dias atrás enquanto observava estas amendoeiras.

Prunus dulcis (Rosaceae) «amendoeira»

Passo a explicar.
A amendoeira produz um fruto carnudo - uma drupa -, não comestível, ao contrário do fruto do Prunus persica «pessegueiro», uma espécie próxima também do subgénero Amygdalus. Nas drupas, o endocarpo, a parte mais interna do fruto, é rijo e protege uma semente, comestível no caso da amendoeira. Portanto, a amêndoa é uma semente, e não um "fruto seco", um termo agronómico de uso corrente, incorrecto do ponto de vista botânico. A parte carnuda das drupas da amendoeira - o mesocarpo - chegado o outono, abre uma larga fenda, solta-se e, geralmente, tomba no solo antes do caroço [endocarpo mais a semente]. Mas, atenção, a drupa da amendoeira não é deiscente porque a semente permanece sequestrada no endocarpo.
Uma curiosidade botânica menor.

2 comentários:

  1. As saborosas amêndoas são botanicamente interessantes e muito úteis, também!

    ResponderEliminar